12 mais caros ingredientes culinários

caviar

Depois de escrever o post das 10 pratos mais caros do mundo e da pesquisa, achei que seria uma ótima continuação!

Agora vamos nos 12 ingredientes culinários mais caros!

1 – Trufas Brancas (Itália e Croácia)

O cachorro-quente mais caro do mundo começa a ser vendido nesta segunda-feira, em Nova York, pelo preço de 2, 3 mil dólares. Mas esse valor não foi escolhido de forma aleatória. Com ingredientes usados na alta gastronomia, o sanduíche do restaurante 230 FIFTH leva, entre outros componentes, manteiga de trufa branca.

Não por acaso, a matéria-prima deste creme aplicado no pão do hot dog é uma das comidas mais caras do mundo. A trufa branca, chamada também de “Alba madonna”, é o corpo frutífero de um cogumelo subterrâneo próprio da região de Piemonte e da Toscana, na Itália, e na península da Ístria, na Croácia.

Mais que as negras, a versão branca destes cogumelos são encontradas na Itália e cresce apenas em determinadas áreas, junto com certas árvores. Encontrada com a ajuda de cães ou porcos (sim, porcos!) farejadores, em eventos que se transformam em verdadeiras festas nos vilarejos, esta iguaria é vendida por preços que variam entre US$ 4 mil e US$ 10 mil o quilo.

Essa iguaria cresce junto a árvores como carvalho, aveleira e álamo, em condições climáticas muito particulares, e, por ser rara, pode custar alguns milhares de dólares. O valor mais alto já pago em trufas brancas foi de 417,2 mil dólares por duas unidades: uma de 900 gramas, da Toscana, e outra de 400 gramas, de Molise, na Itália. O alto preço foi arrecadado em um leilão, mas, no mercado, as cifras continuam altas. Uma libra, ou cerca de 450 gramas, custa em torno de 3,6 mil dólares.

Além das trufas brancas, outros ingredientes usados em diferentes receitas são caríssimos, mas nem por isso deixam de ser apreciados.

2 – Matsutake (Japão)

O cogumelo Matsutake cresce nas raízes de poucos tipos de árvores e ocorre com mais frequência em países da Ásia e Europa, como China, Japão, Coréia, Finlândia e Suécia, mas também pode ser encontrado na América do Norte.

Nas últimas décadas, a produção do Matsutake japonês, o mais apreciado entre os países, sofreu uma queda, devido à incidência de um parasita nas árvores coníferas onde cresce o fungo. Isso fez com que o preço aumentasse bastante, chegando à marca de dois mil dólares por quilo do ingrediente japonês. O preço dos outros países é consideravelmente mais baixo: girando em torno de 90 dólares por quilo.

3 – Açafrão (Mediterrâneo)

Usado em paellas, risotos, carnes, massas, doces e muito comum no mundo inteiro e conhecido no Brasil. Você sabia que o açafrão é o tempero mais caro do mundo? Isso porque ele é extraído dos estigmas da flor de Crocus sativus, que floresce por apenas duas semanas e precisa ser colhida manualmente. O trabalho é minucioso para chegar ao pó que, meio quilo de açafrão, são necessárias até 75 mil flores, o equivalente a um campo de futebol americano delas.

O posto de melhor açafrão é atribuído ao cultivado na Espanha, mas há também produção no Irã, Marrocos, Grécia, Itália e na maioria dos países do Mediterrâneo. Os preços variam entre 1100 a 11 mil dólares por quilo.

4 – Melão Yubari (Japão)

O melão Yubari é um híbrido do Cantaloupe, marcado pela casca verde e polpa alaranjada, possuem um formato perfeitamente arredondado e sua pele é mais macia, cultivado em estufas da cidade homônima, no Japão, e altamente valioso. São excepcionalmente doces, o que especialistas acreditam ser resultados do cultivo em solo vulcânico. Todo ano, são leiloados os dois primeiros frutos colhidos na temporada e os valores não são nada doces.

Em 2012, os melões, que, juntos, tinham quatro quilos, foi vendido por 12,5 mil dólares. Mas esse não foi o preço mais alto alcançado. Em 2008, o valor final da venda foi recorde, de 26 mil dólares pelo par. Mais do que uma simples fruta, o Yubari é um artigo de luxo, dado até como presente no Chugen, festividade anual típica do país.

5 – Melancia Densuke (Japão)

Cultivada exclusivamente em Hokkaido, no Japão, esta melancia especial possui uma casca escura, não possui sementes, sem listras ou manchas que cresce apenas na ilha de Hokkaido no Japão. Apenas 10 mil delas são produzidas por ano, o que aumenta a procura – e o preço. O alto preço da fruta se justifica pela sua raridade e sabor, que dizem ser incomparável. Cada uma delas pode custar 250 dólares. Em junho de 2011, uma das primeiras melancias colhidas foi leiloada por 650.000 yenes o que dá aproximadamente 6.300 dólares.

 

6 – Café Kopi Luwak ou Café Civeta (Indonésia e Filipinas)

Além de dinheiro, a pessoa que quiser provar desse café precisa ter coragem. O Kopi Luwak, considerado o café mais caro do mundo, é feito de grãos extraídos das fezes do civeta, um mamífero carnívoro da família dos viverrídeos. A produção dessa iguaria existe principalmente na Indonésia e nas Filipinas, onde os animais selecionam e comem os grãos, que, então, passam “ilesos” pelo seu sistema digestivo.

O café é, então, excretado com as bactérias e enzimas que dão um toque especial ao sabor. Além do gosto diferente, o alto preço se deve à sua raridade. Todo ano, são produzidos apenas 230 quilos desse grão. Produzido em Sumatra, na Indonésia, ele é vendido por cerca de 600 dólares a mil dólores o quilo.

7 – Caviar Beluga ou Caviar Iraniano (Mar Cáspio e Mar Negro)

Entre as comidas finas, o caviar tem lugar garantido, mas conhecidos no mercado como Almas Golden Caviar, estas ovas douradas são retiradas de esturjões beluga albinos com cerca de 70 anos e que vivem apenas no mar Cáspio. Encontrado no mar Cáspio e no mar Negro, o preço do quilo pode chegar a 10 mil dólares.

O preço parece uma pechincha perto do valor cobrado pelo quilo da variação Almas, da fêmea do esturjão Beluga, que chega a quase 25 mil dólares. Em vez de negra, a cor das ovas é dourada. Para combinar, algumas embalagens desse caviar são feitas em ouro 24 quilates. Uma porção de 500 gramas de caviar Beluga pode custar entre 800 e 25 mil reais!

8 – Ninhos de andorinhas

A saliva das andorinhas é a matéria-prima para os ninhos que servem de ingrediente para uma sopa adocicada bastante apreciada em países da Ásia, como a China. Como os ninhos demoram a ser construídos pelos pássaros e têm um tempo certo para serem recolhidos, o valor para apreciar uma receita feita com eles e alto. O preço de um quilo gira em torno de 600 reais.

9 – Flor de sal defumada (Normadia ou França)

Este não é um sal comum. Vendido por cerca de 400 reais o quilo, ele guarda em si os sabores dos minerais e das algas de onde é retirado, na Normândia, França. Mais: os cristais são defumados em barris de carvalho que foram usados para envelhecer vinho, incluindo os aromas da bebida em seu buquê. Seu preço é de 210 mil dólares por quilo, mais de 400 vezes o preço do quilo de sal comum.

10 – Carne Wagyu (Japão)

Conhecida também como Bife/Carne Kobe, esta carne especialíssima é produzida no Japão, justamente em Kobe. Seu diferencial é o tratamento do bovino, que só come grãos, bebe cerveja, recebe massagem e passa os dias ouvindo música. Tudo para que a carne tenha o teor correto de gordura e atinja o melhor sabor e maciez. No Japão, um bife desta carne pode custar 200 dólares, mas já existem criadouros no Brasil.

 

11 – Foie Gras

Odiado pelos ativistas da causa animal, o fígado gordo de pato ou de ganso (este último considerado o mais caro) só é possível porque os animais são alimentados à força, levando o órgão a funcionar no limite, o que muitos produtores contestam. O nome que em francês significa “fígado gordo”, e junto com as trufas, o foie gras é considerado uma das maiores iguarias da culinária francesa. A alimentação força é proibida em vários países como: Argentina, Dinamarca, Alemanha, Israel, Noruega, Suíça, Reino Unido e na Califórnia (Estados Unidos) e muitos outros países. O resultado é um fígado com quase 50% a mais de gordura do que normalmente teria e uma textura amanteigada. Apreciado como aperitivo, o quilo deste alimento custa cerca de 100 dólares por quilo.

12 – Chá Tie Guan Yin

Também chamado de “Deusa de Aço”, este chá é uma versão especial da erva produzida na província de Fujian, na China. Ele é semelhante ao chá verde, mas possui um aroma mais floral. Parte desse sabor é mantido graças ao complexo sistema de produção, mantido em sigilo por séculos e que requer prática para seguir oito passos fundamentais. Preço por quilo: US$ 112.

Fonte: exame.com, todaela e terra

Gostou? Deixe um comentário. Teve dúvida? Deixe um comentário ou me chama no twitter ou Facebook, que tentarei ajudar. Se não gostou, deixe sua crítica.

 

3 Comment

  1. […] falei sobre os ingreditens mais caros do mundo, agora é a vez de um dos temperos mais antigos que existe! O […]

  2. […] geralmente são dos ingredientes mais caros. Aqui no É só Pavê mesmo, existe a relação dos 12 mais caros ingredientes culinários… Mas não vou falar de ingredientes raros e caros, mas sim de pratos […]

  3. antonio Carlos da Silva says: Responder

    Sempre fui fascinado por temperos exóticos. Gostaria ainda de conhecer todos os temperos que são responsáveis pelo toque sutil e gostoso da culinária não apenas brasileira, mas também estrangeira.

Deixe uma resposta